© 2016 Direitos Reservados para ACETUR 

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon

35 99727 9163 vivo

aceturcarrancasmg@gmail.com

Parceiros Institucionais

II Simpósio do Planejamento do Turismo de Natureza e Rural de Carrancas aponta o Norte para os participantes

O evento reuniu empresários e autoridades que formam o Comitê Gestor para o Desenvolvimento do Turismo de Carrancas – TUCA

O salão de eventos Edgard de Souza Andrade, na zona sul de Carrancas, recebeu na tarde de segunda-feira 12, evento que marcou o encerramento de mais uma temporada de trabalhos do TUCA, formado por empresários de todos os setores da economia carranquense. O II Simpósio do Planejamento do Turismo de Natureza e Rural de Carrancas foi marcado por alertas e advertências como sinalização tanto aos empresários quanto ao poder público, que caminham no sentido de criar uma ‘indústria’ do turismo para a cidade.

 

O Comitê Gestor convidou para este importante evento, três palestrantes especializados e credenciados para transferir experiências e conhecimentos, além de embasamentos aprofundados na atual situação turística da cidade. Três palestras pertinentes e convenientes, iniciada pelo Professor Marco Aurélio Leite Fontes que possui em seu curriculum graduação e Mestrado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Lavras - UFLA e Doutorado em Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Atualmente Marco Aurélio é professor Associado II da UFLA, atuando principalmente na área de Ecologia e Conservação de Ecossistemas Montanos.

 

O tema preparado pelo Prof. Marco Aurélio para o evento foi sobre o ECOTURISMO DA REGIÃO DE CARRANCAS – IMPORTÂNCIA E VIABILIDADE, porém, a tônica de sua palestra foi a questão da “Singularidade” dos locais e regiões com adequações para serem eleitos “destinos turísticos”, assim como Carrancas. Entretanto, o professor Marco Aurélio, que esteve em Carrancas em 1999 proferindo palestra pela primeira vez na cidade, não poupou comentário direto e apontou uma certa ‘decepção’ com o que vem encontrando nas áreas serranas e rurais da cidade. “Não há um sinal de política de preservação e de manejo para receber um turismo consciente e sustentável”, enfatizou Marco Aurélio mostrando em slides a situação de Carrancas em relação ao turismo praticado hoje em dia.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quem é quem?

A coordenação do evento foi realizado por Moema Moura, que assumirá a chefia de gabinete na próxima gestão do mandato do prefeito reeleito José Raimundo dos Santos. A organização geral foi elaborada por Erika Santos, empresária do setor de serviços de guias e passeios.

 

Destaque

A condução de todo esse processo de planejar o turismo de Carrancas de forma responsável e sustentável, está à cargo das competentes profissionais Glaucya Vale e Andrea Salerno, do Sebrae/MG Regional Sul.

“Estamos cumprindo o papel mais importante e fundamental do Sebrae que é apoiar efetivamente ações e iniciativas de entidades dedicadas às melhorias da cidade, neste caso, o Turismo de Carrancas”, comenta a coordenadora Glaucya.

 

Atividades

Em 2016 foram realizadas uma série de atividades planejadas para o desenvolvimento do turismo de Carrancas, como: reuniões periódicas para fortalecimento da governança e formação de lideranças entre os empresários; ‘café empresarial’ para aproximação dos atrativos; o Sebrae/MG Reg Sul apoiou mais uma vez o Festival Gastronômico e Cultural de Carrancas; em novembro os empresários de Carrancas contaram com a participação da entidade em missão técnica empresarial para Ibitipoca; participação em cursos e consultorias para gestão financeira; apoio para realização de clínicas tecnológicas para capacitação dos expositores do Festival; e finalizando com a realização do II Simpósio de Turismo de Natureza e Rural de Carrancas.

Para 2017, o foco será na aproximação dos atrativos, apoio e discussão para implementação do Plano Diretor Municipal, capacitações, missões técnicas e eventos.

 

Visão da Acetur

Para Claudinei Palma Sotta, presidente da Associação Carranquense dos Empreendedores do Turismo – ACETUR, “A parceria como Sebrae/MG Reg Sul em todas as formas e frentes de interesses dos empresários carranquenses com consequente benefício para a cidade, tem contribuído de forma relevante”. Claudinei destaca ainda o papel fundamental do Comitê Gestor para o Desenvolvimento do Turismo de Carrancas – TUCA, como um forte aliado para a organização e planejamento da cidade no que tange o turismo de lazer e de negócios.

 

Estiveram também presentes no evento Caio Márcio Goulart, diretor da Fecomércio/MG, Mariana Vitória Azevedo, executiva da Circuito Trilha dos Inconfidentes, Chaira Cristina de Araujo, consultora de negócios do SENAC, e o Eng. Florestal e futuro secretario municipal de Turismo, Cultura e Meio Ambiente, Leandro Jose de Oliveira.

Singularidade

O professor Marco Aurélio fez questão de ressaltar por várias vezes a palavra “Singularidade” que deve ser traduzida como “quando um local ou uma cidade, oferece atrativo único, diferenciado, ímpar, que possa realmente ser destacado como destino turístico de fato”. Carrancas possui essa ‘singularidade’, sem nenhuma dúvida. A cidade possui maravilhosas cachoeiras, serras, trilhas, área rural expansiva ainda a ser explorada, no bom sentido, para o turismo rural literalmente. Mas há um porém, segundo o professor. Por falta de uma política e da regulamentação do turismo, além de manejo fundamental para exploração das áreas adequadas, a cidade tem recebido novas habitações, diversificação comercial e ampliação na oferta de leitos pelos meios de hospedagens, de forma desorganizada e desorientada. Isso “assusta”, destaca Marco Aurélio. O risco de Carrancas tornar-se um lugar comum é de alto valor, ao contrário da singularidade que é, ou deveria ser, o caminho principal de crescimento do turismo em Carrancas.

 

De acordo com o Prof. Marco Aurélio, solução existe e ainda há tempo de corrigir a rota, fugindo da colisão que já marcou negativamente muitos municípios brasileiros por falta de planejamento, atenção e respeito às questões ambientais principalmente. É preciso que a comunidade local, entenda melhor as reais necessidades da cidade, assim como, o poder público deve se preocupar com infraestrutura básica para poder receber turistas. Se o desejo coletivo é para que o turista “volte sempre”, então é preciso de um melhor preparo. Inclui-se ainda o fundamental ingrediente: qualificação profissional para todos.

 

Valorização da comida típica regional

O segundo palestrante foi o renomado especialista em gastronomia no Brasil, Edson Wander Puiati que há mais de 27 anos vem atuando na área educacional no setor gastronômico e hoteleiro. Puiati é coordenador do curso de Gastronomia da Una, que, de acordo com o MEC, é o melhor centro universitário de Belo Horizonte. Colunista do caderno Degusta do jornal Estado de Minas, Edson é graduado em Administração de Empresas e tem especializações em Gestão Educacional e em Gestão da Segurança Alimentar.

Puiati apresentou temas que considera de suma importância tanto para o universo gastronômico brasileiro, porém, em especial para Carrancas e o já famoso nacionalmente Festival Gastronômico e Cultural que acontece há seis anos, sempre no mês de julho no centro da cidade. A dita ‘alta gastronomia’ não pertence mais às esferas distantes da realidade brasileira, porque a pauta no mundo gastronômico está na valorização da comida típica local, regional, e assim aponta tendências gastronômicas nas mais diversificadas camadas sociais. “Resgatar a culinária local e as suas tradições, é o que diferencia um evento gastronômico, por exemplo”, ressalva que Puiati repetiu durante sua palestra. “O mesmo exemplo serve para os restaurantes e cheffs locais”, advertiu. Realizar experiências gastronômicas com produtos agrícolas locais e regionais, assim como o uso de certas hortaliças que são peculiares na região, fazem a diferença e essa diferença representará resultados positivos tanto financeiros para toda a cadeia produtiva, como para os estabelecimentos que servem alimentos, e finalizando com aumento da renda econômica local. “A gastronomia como desenvolvimento do turismo local é extremamente positivo”, afirma Puiati.

 

Boas práticas nos meios hoteleiros

Este foi o tema da palestrante Débora Miranda Bento, nutricionista formada pelo Centro Universitário Newton Paiva, com pós graduação em Nutrição Humana pela Universidade Federal de Lavras. Consultora e multiplicadora do Programa de Alimentos Seguros pelo SEBRAE/MG. Auditora da ABNT. Consultora do Programa “Cinco Menos que são Mais – Redução do desperdício” pelo SEBRAE/MG.

“Crescimento da população, urbanização, estrutura familiar e estrutura etária, são fatores que influenciam no consumo de alimentos”, com esta pauta Débora abriu a última palestra da jornada empresarial. Esse conjunto de fatores remete à reflexão de práticas unificadas em um sentimento de bem estar, tanto no dia a dia quanto em momentos de lazer. Débora enfatiza o fato de que não basta a cidade possuir lindas pousadas, no sentido paisagístico e de decoração, se os serviços essenciais deixarem a desejar. Quem pode garantir o retorno e frequência significativa de um turista, não é apenas um belo sorriso e simpatia, mas a experiência vivida pelo o que é servido e o atendimento.

A nutricionista Débora abriu uma longa aspas no quesito manuseio de alimentos e a assiduidade e higiene dos locais onde são oferecidos alimentos. “Fica mais caro não seguir as normas da Anvisa do que remediar com o tal jeitinho”, alerta Débora.